Precisamos falar sobre Depressão

A depressão é uma doença que afeta 350 milhões de pessoas no mundo, segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde.  Depressão não é sinônimo de tristeza, de uma reação normal de tristeza, e seu diagnóstico é determinado quase sempre pelo conjunto de sintomas, de forma subjetiva, porque depende da qualidade da comunicação entre o médico e o paciente.

Sim, não há método de exame científico que identifique a depressão, que na maioria das vezes é tratada como uma doença crônica. Há uma pesquisa que aponta mudanças nos marcadores genéticos naqueles que estão em depressão, ou seja, quem está com depressão tem mudanças químicas no cérebro.

O tratamento medicamentoso é feito através dos chamados “antidepressivos”, que atuam no cérebro, com efeito imediato para alguns pacientes. Se não há efeito imediato, é receitado outro antidepressivo. E assim sucessivamente até encontrar um satisfatório. Aí a depressão é controlada. Entretanto o efeito na vida e no organismo das pessoas que utilizam antidepressivos a médio e a longo prazos – alguns no curto prazo de dois a três meses – é que são elas.

O fato é que é um erro tratar a depressão como um distúrbio químico do cérebro. Não é essa a causa. É uma das consequências. Quem tem depressão acaba gerando no seu cérebro uma disfunção química, da mesma forma que quem está apaixonado gera mudanças hormonais no seu corpo.

A depressão pode ter por base um trauma, um evento com forte carga emocional não resolvido, que tende a se agravar por não estar resolvido. Para outros a depressão tem uma causa espiritual. Para alguns a depressão tem ambas as causas, ou seja, tem fundo emocional e espiritual.

De qualquer forma, se a depressão persiste, vai minando a pessoa que começa a ter dificuldade em lidar com os problemas cotidianos que aparecem, problemas normais que todos nós temos. Aí surgem transtornos, síndrome do pânico e doenças físicas, que vão somando aos problemas e engessando a pessoa e a sua vida, como um todo.

Quem está deprimido quer sair da depressão, então o caminho é não ficar paralisado, porque é uma situação que não se resolve somente com o tempo. A depressão é uma crise e toda crise é uma oportunidade, já diziam os chineses há milhares de anos. E nas terapias holísticas e complementares a pessoa depressiva vai encontrar forças para promover essa mudança.

Com a Terapia Quântica uma pessoa pode se tratar da depressão, em qualquer estágio em que se encontre, de forma complementar ao tratamento alopático sem contraindicações.  Isso é possível através de:

  • Desbloqueio dos chakras;
  • Alinhamento energético;
  • Limpeza dos corpos sutis;
  • Desintoxicação dos átomos e moléculas;
  • Reações bioquímicas geradas no corpo físico a nível celular.

Além de todo apoio que a pessoa recebe no seu caminho de mudança para a cura.

O conjunto do tratamento promove a aceleração do processo natural de restabelecimento e elevação bioenergética da pessoa de forma integral, sem efeitos colaterais.

Estamos juntos.

Álvaro de Matos

Terapeuta Quântico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s