Um Bicho Solto

Bem…enquanto escrevo estamos no meio da crise do Covid-19, no Brasil.

E se você me pergunta: quando estamos em crise como fazer para superá-la? Com conhecimento, respondo para você.

E quando estamos em crise o que faz a gente se engasgar e se afogar nela? O conhecimento, meu caro Watson…

Sim, estamos mesmo num beco sem saída.  O que vai fazer você ter elementos para lidar com as notícias que pululam ao redor, num redemoinho doido e frenético, é a base que você sustém de informações e formações.

Já dizia o alquimista, o que diferencia o remédio do veneno é a dose. E o caminho realmente perpassa pela informação.

A informação pode tanto desanuviar suas ideias e trazer clareza no seu posicionamento quanto te deixar aéreo ou em pane, com excesso ou ausência de ar.  Saber utilizar a mente, já que estamos falando numa crise principalmente mental, fará toda a diferença.

A Mente Reptiliana

Segundo o Dr. Paul MacLean, médico e neurocientista norte-americano, nosso cérebro é composto por 03 partes: reptiliana, límbica e neocórtex.

reptil
Domine já sua mente reptiliana!

O seu cérebro reptiliano é a sua mente primária, que é formada na gestação, inclusive. Nele estão armazenadas suas memórias intrauterinas. Ele é responsável pelas ações básicas do recém nascido e suas, atualmente, também: beber, chorar, fome, sono e sobrevivência.

Ele é o mais instintivo. Quando uma pessoa está focada na sobrevivência, a sua mente é binária: o estímulo é correr ou atacar, apenas. Não há empatia, nem clareza. Não há o olhar generoso para o próximo. Não há controle emocional nos seus atos. Não há racionalidade nas suas ações de impulso.

Na crise, pessoas podem surtar e se isso acontecer vamos presenciar situações de histeria e agressividade. Entenda, os cérebros emocional e o racional estarão no modo offline.

O instinto busca a sobrevivência. O medo como defesa natural do organismo é adequado. O problema é quando ele é estimulado de forma artificial. O medo assim é uma produção que cresce dentro da mente da pessoa, ganha vida e a aprisiona.

Por isto não se alimente com as avalanches de informações espalhadas pela mídia, que estimulam o medo e contribuem para manter este padrão nas pessoas, nas famílias, nos lares e nas cidades.

A consciência humana do medo é um dos padrões mais baixos, 100Hz. Daí é ladeira abaixo da tristeza… que baixa a sua imunidade e te deixa cada vez mais vulnerável, num circulo vicioso.

Encarando de Frente

Na crise não fuja de toda e qualquer informação simplesmente, por medo do que ela traz.  Ser espiritualizado não é ser um otimista inútil, não é mesmo?

avestruz
Pensando bem, a postura de avestruz não é muito favorável

Encarar de frente o que te dá medo é transcender a consciência. Medo do desconhecido. Medo das mudanças. Medo da perda. Medo da morte. Medo do novo. Medo do estranho. Medo da instabilidade social. Medo do futuro. Ansiedade.

Busque entender a situação como um todo. Leia nas entrelinhas. Vá além dos dogmas políticos e religiosos, dos conceitos definidos. Observe os movimentos. Saiba se prevenir. Saiba como agir. Saiba ser operacional.

Lembre-se que se está em crise, não se está de férias, não é momento de piquenique. É o momento de usar a mente.  Decida ficar em quarentena, mas faça com consciência. Aproveite o tempo para fazer novos planos, pensar e planejar estratégias, sonhar e construir seu sonho.

Morar no interior do meu interior

Quando se está acuado, o caminho é para dentro e para o alto. Aproveite a situação para promover seu crescimento interior e saiba como o poeta mineiro “morar no interior do meu interior”.

É no seu mundo interior que você terá raízes de sustentação. Não sei se você sabe mas quando os italianos foram para as sacadas, cantando musicas para a vizinhança, este fenômeno ocorreu apenas na segunda semana da quarentena deles. Não teve continuidade. Não conseguiram sustentar, porque foi um movimento levado para afastar o tédio inicial.

Se a ação tivesse a profundidade do mundo interior, naturalmente, o benefício se expressava sem cessar, de forma espontânea. Então o primeiro momento é ir para dentro de si e aí sim, curado, pela sua presença você promove a cura ao redor, sem ao menos pensar nisso.

Aproveite o momento para se conhecer e fazer as pazes consigo mesmo. Faça as coisas para seu benefício e isto sim é algo muito espiritual, também. Veja bem seu benefício não é algo ruim ao próximo. Seu benefício significa que gera benefícios à coletividade. Não há competição, tire sua mente reptiliana da jogada. Há entendimento e aceitação.

Mundo interior não é vazio e não se preenche o vazio com as distrações exteriores. Desligue a televisão. Consiga ter um momento sem computador e celular. Aprenda a viver um período do seu dia sem internet.

Exercite-se. Cuide-se. Leia um livro. Medite. Cante. Dance. Sorria. Cultive uma planta. Faça comida. Como se cura o seu mundo? Com a alegria genuína de uma criança.

Álvaro de Matos

 

 

Um comentário em “Um Bicho Solto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s