Um Bicho Solto

Bem…enquanto escrevo estamos no meio da crise do Covid-19, no Brasil.

E se você me pergunta: quando estamos em crise como fazer para superá-la? Com conhecimento, respondo para você.

E quando estamos em crise o que faz a gente se engasgar e se afogar nela? O conhecimento, meu caro Watson…

Sim, estamos mesmo num beco sem saída.  O que vai fazer você ter elementos para lidar com as notícias que pululam ao redor, num redemoinho doido e frenético, é a base que você sustém de informações e formações.

Já dizia o alquimista, o que diferencia o remédio do veneno é a dose. E o caminho realmente perpassa pela informação.

A informação pode tanto desanuviar suas ideias e trazer clareza no seu posicionamento quanto te deixar aéreo ou em pane, com excesso ou ausência de ar.  Saber utilizar a mente, já que estamos falando numa crise principalmente mental, fará toda a diferença.

A Mente Reptiliana

Segundo o Dr. Paul MacLean, médico e neurocientista norte-americano, nosso cérebro é composto por 03 partes: reptiliana, límbica e neocórtex.

reptil
Domine já sua mente reptiliana!

O seu cérebro reptiliano é a sua mente primária, que é formada na gestação, inclusive. Nele estão armazenadas suas memórias intrauterinas. Ele é responsável pelas ações básicas do recém nascido e suas, atualmente, também: beber, chorar, fome, sono e sobrevivência.

Ele é o mais instintivo. Quando uma pessoa está focada na sobrevivência, a sua mente é binária: o estímulo é correr ou atacar, apenas. Não há empatia, nem clareza. Não há o olhar generoso para o próximo. Não há controle emocional nos seus atos. Não há racionalidade nas suas ações de impulso.

Na crise, pessoas podem surtar e se isso acontecer vamos presenciar situações de histeria e agressividade. Entenda, os cérebros emocional e o racional estarão no modo offline.

O instinto busca a sobrevivência. O medo como defesa natural do organismo é adequado. O problema é quando ele é estimulado de forma artificial. O medo assim é uma produção que cresce dentro da mente da pessoa, ganha vida e a aprisiona.

Por isto não se alimente com as avalanches de informações espalhadas pela mídia, que estimulam o medo e contribuem para manter este padrão nas pessoas, nas famílias, nos lares e nas cidades.

A consciência humana do medo é um dos padrões mais baixos, 100Hz. Daí é ladeira abaixo da tristeza… que baixa a sua imunidade e te deixa cada vez mais vulnerável, num circulo vicioso.

Encarando de Frente

Na crise não fuja de toda e qualquer informação simplesmente, por medo do que ela traz.  Ser espiritualizado não é ser um otimista inútil, não é mesmo?

avestruz
Pensando bem, a postura de avestruz não é muito favorável

Encarar de frente o que te dá medo é transcender a consciência. Medo do desconhecido. Medo das mudanças. Medo da perda. Medo da morte. Medo do novo. Medo do estranho. Medo da instabilidade social. Medo do futuro. Ansiedade.

Busque entender a situação como um todo. Leia nas entrelinhas. Vá além dos dogmas políticos e religiosos, dos conceitos definidos. Observe os movimentos. Saiba se prevenir. Saiba como agir. Saiba ser operacional.

Lembre-se que se está em crise, não se está de férias, não é momento de piquenique. É o momento de usar a mente.  Decida ficar em quarentena, mas faça com consciência. Aproveite o tempo para fazer novos planos, pensar e planejar estratégias, sonhar e construir seu sonho.

Morar no interior do meu interior

Quando se está acuado, o caminho é para dentro e para o alto. Aproveite a situação para promover seu crescimento interior e saiba como o poeta mineiro “morar no interior do meu interior”.

É no seu mundo interior que você terá raízes de sustentação. Não sei se você sabe mas quando os italianos foram para as sacadas, cantando musicas para a vizinhança, este fenômeno ocorreu apenas na segunda semana da quarentena deles. Não teve continuidade. Não conseguiram sustentar, porque foi um movimento levado para afastar o tédio inicial.

Se a ação tivesse a profundidade do mundo interior, naturalmente, o benefício se expressava sem cessar, de forma espontânea. Então o primeiro momento é ir para dentro de si e aí sim, curado, pela sua presença você promove a cura ao redor, sem ao menos pensar nisso.

Aproveite o momento para se conhecer e fazer as pazes consigo mesmo. Faça as coisas para seu benefício e isto sim é algo muito espiritual, também. Veja bem seu benefício não é algo ruim ao próximo. Seu benefício significa que gera benefícios à coletividade. Não há competição, tire sua mente reptiliana da jogada. Há entendimento e aceitação.

Mundo interior não é vazio e não se preenche o vazio com as distrações exteriores. Desligue a televisão. Consiga ter um momento sem computador e celular. Aprenda a viver um período do seu dia sem internet.

Exercite-se. Cuide-se. Leia um livro. Medite. Cante. Dance. Sorria. Cultive uma planta. Faça comida. Como se cura o seu mundo? Com a alegria genuína de uma criança.

Álvaro de Matos

 

 

Um comentário em “Um Bicho Solto

Deixe uma resposta para NATHALY SILVA PEREIRA Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s