O que aprendi com as plantas

Mês de maio prenuncia para mim o mês das plantas, das ervas e das rosas.

E sei que isso é meio sem sentido… ou melhor, para mim, pessoalmente, tem todo. Explico: abril, para mim, é um mês de cravos. Sempre foi. Então, o que vem depois da luta, dos cravos e espinhos, é a suavidade das rosas e dos matos. Uma coroa de louros. Um buquê de noiva. Uma coroa fúnebre. A mudança de ciclo tem um cheiro e um colorido específicos.

Como retribuição ao mundo vegetal, registro, singelamente, um pouco do que aprendi e aprendo com as plantas.

Aprecie um dueto

Consta que, para aprender com as plantas, é fundamental querer conversar com elas… Não só com elas, né? Com tudo. O importante é sair do pedestal, deixar de se achar um ser superior e saber que, sim, as plantas têm uma comunicação interna entre elas e são mais inteligentes do que muitos bípedes da nossa raça que andam por aí.

Ao encontrar com uma planta, busque o diálogo sincero, amistoso e fraterno. Com o mundo vegetal, você pode exercitar a comunicação e se tornar um mestre da impecabilidade com as palavras.

Quer seja cuidando do jardim, parado numa praça florida, molhando as plantas de casa, cuidando dos vasos, receba o que elas têm a dizer no seu olhar e ao seu toque. Escute-as.

Quer seja comprando uma muda ou rosas para a pessoa amada, ou ervas para um banho de descarrego, converse com elas. Fale com elas sobre o seu pedido, sobre aquilo que está em seu íntimo, aquilo que você não pode falar por aí. Confidencie.

Vá além das palavras

Como sábias e poderosas que são, as plantas não se deixam levar pelas palavras. O que importa é o que está por trás e além delas. Assim, elas se relacionam com o que está além da superficialidade.

Às vezes nos enganamos com uma visita que recebemos em casa. Mas a planta não. Ela capta e limpa, absorve e nos protege, de forma anônima, e sem buscar recompensas.

Observe com quem você se relaciona. As plantas são um excelente indicador de relacionamentos. Com aquela pessoa que seca a sua Pimenteira, tenha cuidado.  Com a outra que amarela a sua Arruda, não a convide mais para sua casa.  Sabe aquela pessoa que queima a sua Espada de São Jorge? Corte as ligações com ela.

Saiba ler as mensagens das plantas. Elas são excelentes mensageiras.

A vida se processa em ciclos

Por falar em amarelar, mudar de cor para as plantas não é sinal de fraqueza. Significa que o giro da vida chegou, a mudança de ciclo fez o seu rodízio. Sim, se amarelou, não volta mais ao que era antes; se esverdeou, é porque chegou o momento.

As plantas adoram quando você as poda. Demorei a entender isso. Elas precisam finalizar o ciclo, para a vida se manter, para elas se realizarem…Não há dor, não há luto. Há uma alegria diferente que nós, humanos, desconhecemos e somos educados a desconhecer.

Pensamos na perda, no apego a uma fase da vida, como se pudéssemos manter tudo do mesmo jeito, sempre conhecido e confortável para a gente, dentro desse Universo misteriosamente impermanente.

Elas não têm medo da mudança. Há uma presença de certeza coletiva, de entrega à natureza, que me impressiona.

Lembro do que disse Confúcio num certo dia e que me deixou confuso, mas que hoje entendo bem: “A ruína ameaça todo aquele que tenta preservar um estado de coisas”.

Então, pode a si mesmo, no sentido de retirar de você o que não é mais adequado, o que antes tinha todo sentido, mas que agora irá apenas ferir a sua verdade.

trees-4092265_1280
Cerejeira: sakura renovação

Cumpriu seu papel, desempenhou sua missão. Serviu ao seu propósito. Foi um benefício… mas, agora, manter isso seria somente ruína e desconstrução.

Morra-se, reinvente-se quando chegar o momento.

O amor não tem pressa

Não se afobe não, que nada é pra já, diria o poeta que homenageio neste texto.

Tudo tem o seu tempo. Não tenha pressa. Não perca o tempo do agora.

Há uma beleza única no processo de desabrochar da flor, das estações que se completam e deixam tudo muito mais rico.

Quem cuida de plantas já sentiu o quanto é maravilhoso o momento em que surge um botão de Rosa e quando ela, a Rosa, um belo dia, desabrocha.

O processo é algo que a nossa civilização está, infelizmente, perdendo. Isso é perder um pouco da sua humanidade, ou melhor, da percepção da sacralidade da vida.

Estamos perdendo o orgânico, o que vem da Mãe Terra, o que nos conecta com o Todo e o que vem dos processos naturais do bem viver.

O processo de fazer um café, de cuidar das coisas cotidianas, de elaborar um texto, de fazer um atendimento continuado, de desenvolver um relacionamento, é o mesmo processo de regar uma flor, de colocar a terra, de incluir um adubo, de desenvolver uma técnica de cultivo.

Isso vale para tudo. Para todas as áreas da sua vida. Cultive. Celebre o processo.

Não se compare ao outro

O barato das plantas é que não há competição entre elas. Uma flor também é um tipo de flor que nem outro tipo de flor e todas têm seu valor, sua importância.

Cada planta busca o seu melhor. Cada uma sabe o seu papel, seu lugar no mundo. Sabe aquela sensação boa de estar alinhado com o seu propósito? Você vê isso olhando para uma planta.

Uma Samambaia não se compara com uma Orquídea. Um Cacto não fica amuado com uma Brinco-de-Princesa ao seu lado.

Outra coisa bem interessante que aprendi convivendo com elas é que não há individualidade. Uma Amarylis, quando desabrocha em flor, todas da sua coletividade ganham. Há um ganho coletivo da espécie. É uma felicidade que as envolve. E essa vibração envolve o mundo ao redor. Todos os seres viventes da Mãe Terra ganham, também.

amarylis-2647820_1280
Ordem Amarylis

As plantas, o mundo vegetal em geral, se conectam telepaticamente entre si, numa comunicação harmônica, incompreensível para bípedes como nós.

Ou seja, buscar ser a expressão do seu melhor não significa que você é superior ao próximo. Esqueça a tolice da busca pelo poder com o intuito de dominação, com a ilusão da supremacia. Não há dominação entre iguais. Quando você melhora, todos melhoram. O inconsciente coletivo melhora.

O caminho de tanto amar

Amo tanto falar sobre isso que me encanta tanto: o caminho do coração.

Não existe somente um terreno bom e adequado para cultivar. Existe, sim, a terra boa, o caminho bom, para aquela específica planta. Cada caminho é único.

Para a Rosa do Deserto, o terreno de igapó amazônico não é o adequado. Já pensou se uma Vitória Regia quisesse porque quisesse se criar no sertão do Piauí? Não se criaria.

nature-868115_1280
Destemida Iara

Elas não se encasquetam com o que não é da natureza delas. Seguem o coração. O caminho do coração delas.

Então, saber sobre si, sobre a sua natureza, o seu papel e a sua missão faz com que você queira somente seguir o seu caminho.

Entregue-se à sua natureza e aos seus desígnios. Encontre seu habitat, seu canto, sua ordem e a sua família.

Honre a sua semente

Gosto muito da lição que aprendo com as plantas, sobre se empenhar para cada dia ser o melhor que puder ser, para se tornar aquilo que você já é e que, na verdade, sempre foi.

O poder da semente.

A semente não precisa de nenhum evento externo que confirme que ela é algo a mais do que seu estado atual.

Isso é a magia da autorrealização.

Claro que isso tem muito a ver com o autoconhecimento. Não seja uma semente de Girassol querendo ser um Trevo. Não dará certo. E não culpe o destino. Na verdade, tire a culpa da sua vida de todas as formas. Não há por que se frustrar desnecessariamente.

Busque se conhecer melhor e se identificar sem culpa, pena ou remorso de qual tipo de semente você é. Ao se aceitar, se enraíze naquilo que lhe faz ser você, para ter forças de se materializar e se expressar da melhor maneira possível.

hands-1838658_1920
Semente: magia da realização

A necessidade do discernimento

Interessante é saber que não é porque é da natureza que, necessariamente, vai fazer bem a você.

É importante ter o discernimento e deixar o oba-oba e o bundalelê.

Uma Urtiga é da natureza, é uma planta, mas vá abraçá-la e beijá-la com ternura…

Não é porque brilha, reluz, que vai lhe iluminar. Atenção. Cuidado.

Nem todos os caminhos levam ao mesmo fim e é importante ter conhecimento para saber identificar a diferença entre armadilhas e oportunidades.

A diferença entre um remédio e um veneno, às vezes, está num detalhe, numa pequena dose.

Sim, amigo, não tem jeito, o mundo vegetal nos convida ao estudo. De nós mesmos.

Álvaro de Matos

Internet não traz conexão

Neste momento em que as pessoas precisam ficar em casa, em que o recolhimento social se faz necessário, um instrumento muito válido que favorece o teletrabalho, dinamiza a sociedade,  fortalece os negócios e facilita a nossa vida é a internet.

Então claro que a função deste artigo não é endemoniar a internet. Sem ela você não estaria lendo-o neste momento.

Entretanto, é importante saber viver sem ela.

Na quarentena percebo que a utilização da internet tem sido mais do que nunca intensificada. São determinadas práticas que, agora, pela quarentena, estão limitadas. Então lives são válidas? São sim. Maravilhosas as lives com músicos, as práticas de yoga, danças,  esportes, as conversas e bate-papos. Muito bons os shows no youtube, aulas online, canais de filmes e séries.

Não vou aqui me ater aos perigos reais ligados à pornografia, ao vazamento das informações íntimas, da pedofilia online, da espionagem, do ciberbullying e da interação com pessoas más intencionadas.

Também não vou falar sobre as pessoas viciadas no celular, que dormem abraçadas com o seu precioso,  tem febre de abstinência se ficarem 01 dia longe do seu smartphone, precisam ficar de 5 em 5 minutos olhando para ele ou ficam zumbizadas com tanto jogos eletrônicos na veia.

Muito menos vou falar daqueles que compram ingresso e perdem a conexão única com uma música sendo tocada ao vivo, naquele momento, para filmar e colocar no youtube. Não entendo, mas agradeço.

concert-4125832_1920
Você que grava, não entendo, mas agradeço!

Veja bem, a conexão é interior. Esta é uma grande pegadinha. Sermos treinados a achar que a conexão é externa, que a conexão te deixa integrado e te deixa mais humano.

Com a internet se faz ligações e contatos que são necessários para formar a grande rede em que estamos, e não tem volta. Mas a conexão, a conexão na real, ela é com o seu Eu Superior.

Conexão tem o mesmo sentido do latim religare, e do sânscrito yoga, de união. Sim, conexão vem do latim conexione, nexus, significa união.

Estamos sendo adestrados para conectarmos com o nosso celular, um objeto externo, ao invés do nosso coração, nosso portal interior. Reverenciar e ser escravo da tecnologia.

Atenção! Neste momento destaco uma nova armadilha no pedaço: utilizar a internet, a tecnologia streaming, durante as práticas que reduzem suas ondas cerebrais e acessam seu subconsciente e sua rede neural.

Em casos extremos, como uma meditação em lives, se você tem retaguarda espiritual, de verdade e realmente se garante, uma vez ou outra, vá lá.  Mas isto é raro. Muito raro, mesmo.

Os Efeitos Nocivos da Meditação

Existem pessoas que utilizam da internet para suas práticas de meditação, quer seja diária ou semanais. Utilizam aplicativos, tecnologia streaming. Sabe aquelas meditações online, música relaxante, que você coloca até fones no ouvido? Pois então…

Pessoas que utilizam de internet para suas práticas de meditação começam a apresentar sintomas como ansiedade, uma sensação niilista, dissociativa, transtorno borderline, paranóia, depressão e alucinações.

Um estudo feito pela Universidade College London, na Inglaterra, constatou que 25% das pessoas sofreram experiências desagradáveis durante ou após as práticas meditativas.

Isto acontece porque a meditação requer um processo de transmutação interior, limpeza ambiental e proteção espiritual. Não é somente sentar ou deitar e mandar ver.

Se você está se sentindo contaminado energeticamente, mesmo fazendo tudo direitinho, pode ser que aí seja a porta aberta do seu castelo. Reflita e analise com carinho.

A dica é:

  • Desligue seu celular durante sua meditação para estabelecer a verdadeira conexão com o seu verdadeiro precioso;
  • Limpe e organize física e energeticamente o ambiente em que você vai meditar;
  • Peça proteção espiritual para amparar você durante a prática;
  • Ative merkabas de proteção, se souber;
  • Exercite uma rotina de conexão com seu mundo interior, aprofunde-o e o expanda;
  • Reserve este momento para si mesmo.

 

Mas como faço com aquele video de meditação guiada, que gosto tanto mas que está no Youtube? Faça o download dele na plataforma onde ele estiver e o utilize sem a internet.

Se você seguir as dicas e o objetivo da meditação for a conexão com seu Eu Superior, Divina Presença, Energia Crística, seu Cristo Interno, enfim, com a energia do seu coração, a sensação de conexão e harmonização é instantânea.

Não há sensações ruins se você faz o link com a conexão verdadeira. Há a sensação de bem-aventurança, Ananda, a alegria interior como um estado natural do ser humano, conectado com seu Eu Superior.

portal-4436861_1920
Conexão é uma porta que se abre para dentro

A meditação é a prática mestra de conexão interior. Técnica sagrada de conexão de você com você mesmo.

Neste momento de quarentena é muito bom poder aprender a viver e conviver com um mundo sem a internet.

Afinal, como você se sairia nuns dias de apagões gerais, globais, sem a deusa Internet para guiar você?

Álvaro de Matos

 

Um Bicho Solto

Bem…enquanto escrevo estamos no meio da crise do Covid-19, no Brasil.

E se você me pergunta: quando estamos em crise como fazer para superá-la? Com conhecimento, respondo para você.

E quando estamos em crise o que faz a gente se engasgar e se afogar nela? O conhecimento, meu caro Watson…

Sim, estamos mesmo num beco sem saída.  O que vai fazer você ter elementos para lidar com as notícias que pululam ao redor, num redemoinho doido e frenético, é a base que você sustém de informações e formações.

Já dizia o alquimista, o que diferencia o remédio do veneno é a dose. E o caminho realmente perpassa pela informação.

A informação pode tanto desanuviar suas ideias e trazer clareza no seu posicionamento quanto te deixar aéreo ou em pane, com excesso ou ausência de ar.  Saber utilizar a mente, já que estamos falando numa crise principalmente mental, fará toda a diferença.

A Mente Reptiliana

Segundo o Dr. Paul MacLean, médico e neurocientista norte-americano, nosso cérebro é composto por 03 partes: reptiliana, límbica e neocórtex.

reptil
Domine já sua mente reptiliana!

O seu cérebro reptiliano é a sua mente primária, que é formada na gestação, inclusive. Nele estão armazenadas suas memórias intrauterinas. Ele é responsável pelas ações básicas do recém nascido e suas, atualmente, também: beber, chorar, fome, sono e sobrevivência.

Ele é o mais instintivo. Quando uma pessoa está focada na sobrevivência, a sua mente é binária: o estímulo é correr ou atacar, apenas. Não há empatia, nem clareza. Não há o olhar generoso para o próximo. Não há controle emocional nos seus atos. Não há racionalidade nas suas ações de impulso.

Na crise, pessoas podem surtar e se isso acontecer vamos presenciar situações de histeria e agressividade. Entenda, os cérebros emocional e o racional estarão no modo offline.

O instinto busca a sobrevivência. O medo como defesa natural do organismo é adequado. O problema é quando ele é estimulado de forma artificial. O medo assim é uma produção que cresce dentro da mente da pessoa, ganha vida e a aprisiona.

Por isto não se alimente com as avalanches de informações espalhadas pela mídia, que estimulam o medo e contribuem para manter este padrão nas pessoas, nas famílias, nos lares e nas cidades.

A consciência humana do medo é um dos padrões mais baixos, 100Hz. Daí é ladeira abaixo da tristeza… que baixa a sua imunidade e te deixa cada vez mais vulnerável, num circulo vicioso.

Encarando de Frente

Na crise não fuja de toda e qualquer informação simplesmente, por medo do que ela traz.  Ser espiritualizado não é ser um otimista inútil, não é mesmo?

avestruz
Pensando bem, a postura de avestruz não é muito favorável

Encarar de frente o que te dá medo é transcender a consciência. Medo do desconhecido. Medo das mudanças. Medo da perda. Medo da morte. Medo do novo. Medo do estranho. Medo da instabilidade social. Medo do futuro. Ansiedade.

Busque entender a situação como um todo. Leia nas entrelinhas. Vá além dos dogmas políticos e religiosos, dos conceitos definidos. Observe os movimentos. Saiba se prevenir. Saiba como agir. Saiba ser operacional.

Lembre-se que se está em crise, não se está de férias, não é momento de piquenique. É o momento de usar a mente.  Decida ficar em quarentena, mas faça com consciência. Aproveite o tempo para fazer novos planos, pensar e planejar estratégias, sonhar e construir seu sonho.

Morar no interior do meu interior

Quando se está acuado, o caminho é para dentro e para o alto. Aproveite a situação para promover seu crescimento interior e saiba como o poeta mineiro “morar no interior do meu interior”.

É no seu mundo interior que você terá raízes de sustentação. Não sei se você sabe mas quando os italianos foram para as sacadas, cantando musicas para a vizinhança, este fenômeno ocorreu apenas na segunda semana da quarentena deles. Não teve continuidade. Não conseguiram sustentar, porque foi um movimento levado para afastar o tédio inicial.

Se a ação tivesse a profundidade do mundo interior, naturalmente, o benefício se expressava sem cessar, de forma espontânea. Então o primeiro momento é ir para dentro de si e aí sim, curado, pela sua presença você promove a cura ao redor, sem ao menos pensar nisso.

Aproveite o momento para se conhecer e fazer as pazes consigo mesmo. Faça as coisas para seu benefício e isto sim é algo muito espiritual, também. Veja bem seu benefício não é algo ruim ao próximo. Seu benefício significa que gera benefícios à coletividade. Não há competição, tire sua mente reptiliana da jogada. Há entendimento e aceitação.

Mundo interior não é vazio e não se preenche o vazio com as distrações exteriores. Desligue a televisão. Consiga ter um momento sem computador e celular. Aprenda a viver um período do seu dia sem internet.

Exercite-se. Cuide-se. Leia um livro. Medite. Cante. Dance. Sorria. Cultive uma planta. Faça comida. Como se cura o seu mundo? Com a alegria genuína de uma criança.

Álvaro de Matos

 

 

Que venha 2020!

Quem me conhece sabe que gosto de falar sobre o ano, quando ele se inicia, mesmo com todos os riscos que correm aqueles que sapecam uma eventual previsão. E aí que mora o perigo: não há um destino fixo, tudo é mutável, com várias probabilidades de futuro… Mas, como não sou vidente, caso este ano se revele diferente do que ousadamente escrevo, pelo menos não há o risco de me considerarem charlatão.

Antes de mais nada, uma ressalva importante: astrologicamente o ano se inicia em março, mais precisamente dia 20 de março. Mas isso não impede de sentirmos os efeitos de 2020, ainda mais com a combinação entre os anos, durante o primeiro semestre.

Um dado interessante neste ano é que não há acordo entre as linhas da umbanda e do candomblé, sobre qual (ou quais) Orixá rege o ano: Oxalá ou Xangô. Não vou tomar partido, não só porque é luta de gente grande, mas porque as duas possibilidades se complementam, deixando o cenário dessa análise do ano mais rico, com várias tonalidades.

Onde não há briga é sobre o regente na astrologia: o Sol. Um ano regido pelo Sol. É um ano de revelação. Acho que esta é uma chave importante. O brilho do sol estimula que você se expresse, é um ano de ser você mesmo, as coisas tendem neste sentido e quem tem o autoconhecimento saberá melhor se autoaceitar.

Revelação é deixar seu sol interno se manifestar. O cuidado é o excesso, o deslumbre da vaidade e da autoimportância. Irradiar, expressar é diferente do brilho artificial de quem quer tão somente aparecer.

Revelação também é vir à tona. Ou sai por bem ou sairá de forma mais trágica,  pois em 2020 o emergir pode simplesmente ser como a explosão de um vulcão, que no primeiro momento destrói tudo a sua volta… A dica é não te apequenar, não tomar decisões que te deixam menos, que te desvalorizem como ser humano.

É meu amigo,  2020 é um ano do astro rei, ou seja, as coisas virão mesmo de cima para baixo. Sem muita negociação ou agiotagem. Por sinal, esquemas e situações erradas, que tiveram sucesso antinatural em 2019 (por meio fraudulento, uma mão esperta, como um suborno ou feitiçaria), a conta tende a chegar em 2020 e será cobrada.

Neste ponto ele é Xangô como o arquétipo da justiça cósmica, não a humana, que é falha.

images
Ano 2020 = IV

A justiça cósmica é sábia, vê o que a gente desconhece e não alcança, a linha do entrelaçamento quântico, das vidas, das pessoas e das pequenas coisas. Ela é o discernimento do equilíbrio de energias, das forças.

Não é um ano de contar com uma água mole. Ele é a pedra dura. Ele é o Imperador. Juntando com a execução da Lei, o primeiro trimestre do ano, promete.

É o ano 2020, de batalhas jurídicas e de buscar a sabedoria no cotidiano e de subir a montanha.

É um ano de fogo, que dá vida à ação e por isto o cuidado do elemento Fogo, do querer e da intenção.

Então é um ano de atividades vulcânicas, intensas, inclusive no interior de algumas pessoas.  O ano de 2020 será um ano intenso, de modificações, mudanças, de não deixar ninguém parado.

E aí é uma chave bem interessante: o Fogo.  O Fogo é o agente transformador. Para alguém viver o bem viver de Oxalá é preciso estar purificado, ou seja, já ter passado pelo Fogo.

Passar pelo Fogo significa você ter a iniciativa de mudanças.  Agir internamente através da autorreflexão e das práticas espirituais para estabelecer uma mudança pessoal. Aí o que irá queimar é o orgulho e a vaidade, o Ego.  Agir externamente e definir para si um trabalho consciente e constante de práticas para sua qualidade de vida – aquelas complementares e integrativas. Aí queimarão toxinas, miasmas, larvas astrais e outras coisitas mais.

O Fogo passar por você significa você ser reativo ao ano. Significa você teimar em só querer aprender pela dor. Não fazer o que tem que fazer. Aí, é através da dor mesmo. E este ano será dolorido para quem não quer fazer o seu dever de casa.

A pureza, o branco de todas as cores de Oxalá é o resultado da fênix. Então a clareza na sua percepção de qual é a sua motivação interior fará muita diferença em 2020. As informações reveladas, que serão expostas, precisam ser curadas, e, neste ponto, o fogo  pode ser o agente cicatrizador.

Então: uma ruptura brusca; o choque com a separação de um relacionamento de anos, que já deu o que tinha que dar; a perda de um ente querido que gerará um novo ciclo, um movimento familiar; a informação inesperada do desemprego que faz você seguir novos rumos; a ruína da Torre do orgulho e da arrogância; o saber olhar sua sombra com maturidade; e saber lidar com seus medos interiores, esta será a tônica de 2020.

Oxalá é o arquétipo da Fé, da fé em Ser, do renascer das cinzas e do reconhecimento e aceitação da criança interior.

people-1839564_1280.jpg
Oxalá também é a força de um erê

Este é um ano bom para quem estiver purificado, porque receberá estímulos para alçar voos em escalas maiores, em direção ao espaço e além. Para quem não estiver nesta situação, sentirá a força da gravidade, como um imã, puxando para ladeira à baixo.

Então se há um aspecto na sua vida que não está bom, que precisa de ajuste, aproveite 2020 para utilizar esse cenário ao seu favor. Encare de frente e utilize o fogo voluntariamente para fazer o que tem que ser feito. Mude a programação. Aceite o que será quebrado quando ele quebrar. Aproveite quando isto acontecer para fazer os ajustes necessários… se desapegue dos velhos paradigmas, aceite o novo e abrace a criança dentro de você.

Álvaro de Matos

Método Omrom em Belém

É com alegria e profunda gratidão que informamos a abertura de inscrições para o curso Método Omrom, em Belém!

O Método Omrom é um curso criado por Rodrigo Romo que habilita o aluno a aplicar a técnica de cura e harmonização através de 25 símbolos sagrados em si mesmo e em outras pessoas. Ao final do curso, o aluno receberá mais além do que um certificado: vai melhorar sua conexão espiritual para a expansão da consciência, neste período de Transição Planetária.

É um curso iniciático, voltado para todos que estão em busca do autoconhecimento, do seu propósito no planeta Terra e suas conexões com as Hierarquias espirituais.

Este curso é ministrado por facilitadores autorizados por Rodrigo Romo e capacitados pela sua equipe. Os facilitadores atuam como terapeutas utilizando a Cura Quântica Estelar intensamente em suas terapias.

Álvaro Matos e Mileny Matos são facilitadores habilitados para ministrar o Curso Método Omrom. Há quatro anos mantêm o espaço Solar Quântico em Belém .

Mais informações sobre o Método Omrom

Qual é a sua real expectativa?

Há um fundamento da física quântica para a definição da realidade material. O que define a natureza é a observação, a consciência. Isto é fartamente comprovado através de inúmeros experimentos científicos, como o da Fenda Dupla. O observador altera a realidade, influencia diretamente no resultado da experiência.

A luz é uma onda eletromagnética que se propaga por todo o espaço ou uma partícula que ocupa determinado lugar? Ela é as duas coisas e depende da intenção do observador.  E tem mais: os átomos sendo observados não se movem. É o efeito Zeno Quântico, no qual o observador “congela” o átomo toda vez que ele está sob observação.

A clássica separação do objeto x observador, da figura do observador imparcial, inexiste e hoje é mais um dogma do que uma verdade científica.  “O universo é imaterial-mental e espiritual”, afirma Richard Conn Henry, cientista físico canadense PHd, professor de astronomia e astrofísica na Universidade Johns Hopkins, pesquisador com mais de 200 trabalhos publicados.  Ponto.

De posse desta informação, percebe-se porque somos co-criadores do nosso mundo. Uma vez que o universo tem natureza mental,  os pensamentos moldam destinos. Mas será que basta pensar em algo, que num passe de mágica, isto se materializa? Claro que não. Isto porque para o quê você quer se moldar em sua vida é fundamental que este pensamento tenha o gradiente de energia necessário para materializar.

No caleidoscópio dos pensamentos desconexos,  múltiplos e conflitantes da vida atual, os pensamentos e sentimentos que você gera, recebe e transmite com mais intensidade e frequência, se condensam naquilo que é mais forte em você e compõem a sua consciência. É esta consciência, este padrão mental e emocional que molda o seu destino, não um pensamento fútil de momento.

Por isto, o enfoque para a expectativa real, não ilusória. A expectativa sendo aquele estado quando se aceita interiormente como verdadeira determinada probabilidade. Quando se aceita e se sente organicamente, interiormente, quando se unem o pensamento e o sentimento sobre determinada situação é que ela se cristaliza como verdade para você no seu íntimo. Quanto mais energia você gera nesta expectativa, maior é o seu poder materializador.

Como tudo é energia, o que se pensa e sente com maior constância, o que você dá mais importância e força na sua vida, se torna um padrão vibratório pessoal que você irradia e atrai simultaneamente. Gosto muito da frase de Arjun Walia  que cada um tem  “assinatura energética única“, e assim você vive em determinada frequência que pode ser alterada sem determinismos, com o foco correto.

O problema é que comumente estamos condicionados em esperar a infelicidade. Imagine uma pessoa que sente medo. Medo não como um mecanismo de defesa de autopreservação numa situação extrema de perigo. Medo como algo condicionado através das informações cotidianas negativas. Medo como um miasma energético.

Uma pessoa que vive com medo de assalto tem a expectativa de que vai ser assaltada, Vibra nesta tensão, sobressaltada. Sente e aceita como verdade que há perigo e a qualquer momento pode ser abordada pelo assaltante, dobrando uma esquina.  As circunstâncias se moldam para que, naquele exato momento, naquela exata rua, o assaltante, entre inúmeras pessoas, encontre e aborde justamente esta pessoa. Há a sincronicidade do encontro para que o delito aconteça.

Como teve esta experiência, o trauma se aloja na memória celular da pessoa assaltada que reforça o medo e a sensação de vulnerabilidade nela.  Reforça a expectativa, que reforça a crença limitante, que se torna maior e mais frequente na vida da pessoa. Infelizmente entra num círculo vicioso, que aumenta a sua probabilidade de ser assaltada mais uma vez. E aumentam as circunstâncias na vida daquela pessoa para que o medo ganhe mais força e espaço. Ela fica mais interessada em notícias de assaltos, começa a ver mais programas televisivos sobre o tema, propaga e recebe mais notícias sobre a violência urbana….

O medo é uma energia que não deixa você progredir. Ele se aloja no sistema nervoso, na rede neural e influencia o sistema glandular e os chakras.  Ao ser registrado na memória celular, sob efeito traumático, preenche as células. Quanto mais forte o efeito traumático, maior a marca. Alguns medos têm origem na ancestralidade e traumas dos passados, que são mais profundos e difíceis de serem transmutados.

E se mesmo sem ter nenhuma expectativa de sofrer assalto, isto ocorrer com você? Bem, vivemos numa sociedade em que esses eventos, infelizmente, acontecem…. O que importa é a sua reação perante o evento. Se você der importância a ele como uma carga negativa, ele passará de evento circunstancial para uma experiência traumática e aí mora o perigo.

Da mesma forma, uma pessoa que tem medo de viver sozinha, de envelhecer sem ninguém, quase sempre adquire um comportamento possessivo e excessivamente ciumento com a pessoa amada. Encara o relacionamento afetivo como tábua de salvação e o parceiro como um boia salva-vidas para não se afogar. Faz com que o outro se sinta muito sufocado. O relacionamento se torna um peso, algo dramático.

A expectativa, o pavor de ser traído em qualquer oportunidade que der, faz com que inevitavelmente o relacionamento esfrie e o encanto se quebre. Ou seja, a pessoa fica solitária porque ela acaba fazendo tudo certo para que o relacionamento desse errado. E o que mais temia se concretiza.

É o mito do Édipo. Foi o medo de que se concretizasse a profecia para seu filho que fez com que Laio abandonasse seu filho, Édipo, ainda criança. Édipo cresceu em outro reino sem saber quem ele realmente era. E foi por causa deste detalhe que ele acabou matando o seu pai e casando com a sua mãe.

Se você se encontra nesta situação com expectativa de que vai acontecer algo que você teme, não se preocupe. Enfrente. Aceite com sinceridade. O medo é uma prisão. Mas como Clarice Lispector disse “cada pessoa é um mundo. Cada pessoa tem a sua própria chave“. Então, faça o trabalho interior.  Desenvolva a consciência. Entenda-se. Encontre o motivo de ter criado a expectativa. Encontre sua crença limitante. E se liberte dos contratos negativos.

A atenção é fundamental. Saber direcionar sua atenção e direcionar seu foco é o caminho que vai definir seu universo. Saber formar, nutrir e reforçar uma expectativa adequada em qualquer situação que for enfrentar é a chave para uma vida mais plena e feliz.

Se você encontrar dificuldade, procure ajuda em terapias holísticas para fazer o mecanismo de mudança interior. Na terapia quântica o medo é trabalhado na linha temporal, na transmutação da memória celular, na desativação de chips e implantes de programações neurais, na quebra de contratos negativos, nos encaminhamentos das situações pendentes e na limpeza energética.

A cada sessão aumenta o gradiente vibracional do cliente. Aumentando a frequência vibratória da pessoa, aumenta a qualidade dos pensamentos, sentimentos e crenças fortalecedoras.  E assim, como diria Fernando Brant adquire a “estranha mania de ter fé na vida“.

Estamos juntos.

Álvaro de Matos

Terapeuta Quântico

 

 

 

  • Um pouco mais:

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=efeito-observador-efeito-zeno-quantico#.WchN07KGPIV

Consciência cria realidade – Físico admite que o Universo é Imaterial, Mental e Espiritual

https://mundoestranho.abril.com.br/ciencia/o-que-exatamente-e-a-luz/

http://www.cienciahoje.org.br/noticia/v/ler/id/2751/n/onda_ou_particula_uma_questao_de_interpretacao/Post_page/4

https://super.abril.com.br/ciencia/atomo-essa-onda-pegou/#

https://portal2013br.wordpress.com/2015/03/26/nada-e-solido-tudo-e-energia/

Indo além da culpa

Quem aqui nunca se sentiu culpado? Na nossa cultura, por questões morais e religiosas, recomenda-se sentir culpado por determinada ação errada que trouxe consequências negativas.

É sinal de maturidade e de crescimento, dizem por aí. Como se ao auto-punir, a dor e o sofrimento autoimpostos significassem empatia, compromisso verdadeiro para resolver a situação e trouxesse resultados espirituais.

Contudo não é bem assim. Independente do que você sinta diante do ocorrido, toda ação tem uma reação. Há consequências  das quais você se torna responsável. Independente se você concorda ou não, se você assume ou se você aceita. Ou seja, ser responsável não precisa da sua aquiescência.

E a responsabilidade não significa culpa. São coisas completamente diferentes. Assumir a responsabilidade significa aceitar o erro, buscar o aprendizado da experiência e fazer algo para concertar efetivamente.

Mas e o karma? Karma é uma palavra em sânscrito para ação.  Não é uma lei cósmica criada para punir alguém pelo passado, mesmo porque em termos de física quântica quem define o passado é o futuro. Não há determinismos e fatalismos e uma pessoa sempre pode mudar seu futuro e o seu passado através do agora.

Então não há a obrigatoriedade de sofrer pelo mesmo mal que você fez no passado. Você, com suas crenças e guiado por hologramas é que decide, aceita e cocria isto, gerando um contrato de aprisionamento.

Da mesma forma é você que decide se sentir culpado. A culpa tem a função de punir. Para quê? A vida não cobra este pedágio. A questão da culpa é que ela te engessa energeticamente ao passado que é reforçado cotidianamente.

A forma-pensamento da culpa gera miasmas e afeta o campo eletromagnético da pessoa que se sente culpada. Ela por ressonância atrai vibrações pesadas daquela realidade traumática nas circunstâncias da sua vida no presente.

Claro que quanto maior o sentimento da culpa, maior é a sua força energética e o grau de interferência na vida da pessoa, uma vez que um miasma afeta a programação do DNA e se acopla na memória celular, interferindo na produção endócrina, podendo até gerar doenças.

A culpa afeta a autoestima da pessoa e a deixa sem vontade, paralisada, se julgando não merecedora de realização na área da vida em que existe a culpa e se torna um entrave, uma espécie de maldição autoimposta.

Se você quer se libertar do sentimento de culpa, indico um tratamento terapêutico holístico sem remorsos porque sempre é possível ser feliz.

Como exemplo da possibilidade de ir além da culpa, podemos citar a história de um santo tibetano, Milarepa, que aprendeu magia negra para se vingar do tio, matou mais de 30 pessoas num vilarejo e conseguiu ascensão na mesma encarnação!

Assim como nas palavras do físico, professor PHD da Universidade Nacional da Austrália, Andrew Truscott,  “O evento futuro faz o fóton decidir o passado”, nas suas mãos está a possibilidade de mudança.

Na terapia quântica a culpa será trabalhada através de um profundo trabalho de limpeza energética, alinhamento e desbloqueio dos chakras, gerando as transformações bioquímicas necessárias.

Como diz o poeta: sempre é bom “ver brotar o perdão onde a gente plantou“.

Bateu o interesse e quer agendar um atendimento com a gente?

https://solarquantico.blog/contato

Estamos juntos.

Álvaro de Matos

Terapeuta Quântico

Um pouco mais:

http://exame.abril.com.br/ciencia/na-fisica-quantica-o-futuro-define-o-passado/

https://super.abril.com.br/historia/jetsun-milarepa/

http://delas.ig.com.br/comportamento/autora-propoe-fisica-quantica-para-eliminar-problemas-cotidianos/n1237792244785.html

Designo do Coração: o seu Caminho

Você já teve uma sensação de inadequação? De não estar à vontade, de não fazer parte do meio em que está? Você já conheceu aquela sensação que persiste de não realização pessoal? Pois é vamos falar um pouco sobre isso. Às vezes esta sensação é causada porque você não vive a sua vida que lhe pertence por direito divino. Você não está ajustado. Você não está onde você nasceu para estar.

Não falo de uma existência de sossego e diversão. Falo de uma vida com harmonia interior e desafios a serem enfrentados. Crescimento pessoal. Pode ter facilidade, alguma luta, mas terá sempre significado.

Cada pessoa é única e traz um histórico, com aptidões, crenças, valores e talentos. Conhecer, perceber e avançar para viver o seu designo divino, predestinado, nesta fisicalidade é o segredo daqueles que fazem a sua vida valer a pena.

O seu caminho. Cada pessoa tem o seu caminho nas mais diversas áreas da vida. Quer seja no caminho profissional, no caminho da afetividade, no caminho dos relacionamentos, na sua espiritualidade, na sua contribuição social.

Centrar no que está designado para você viver. Seguir o famoso, assim denominado caminho do coração. Ele é o antídoto para que você não traga e gere para o seu mundo sentimentos negativos como frustração, inveja, mágoa e ressentimentos.

Às vezes as pessoas confundem o caminho do coração com autoafirmação. O que o coração pede não é necessariamente o que é idealizado nas campanhas de marketing, não é o padrão de beleza imposto na moda, muito menos aquela profissão que te dará status, nem aquele caminho espiritual que vai fazer você ser mais facilmente aceito entre seus entes queridos.

Aí reside uma armadilha. Todo esforço, algumas das vezes com a ajuda de terceiros, para ter aquilo que não era para ser seu, tem um preço muito, mas muito alto. E não se iluda você pagará mais cedo ou mais tarde.

Por isso, nos atendimentos que têm um foco a abertura de caminhos, temos o cuidado de pedir, que isto aconteça de acordo com o merecimento, respeitando o livre arbítrio e em direção ao bem maior de todos os envolvidos. Vamos dar um exemplo de uma pessoa que nos procura porque está insatisfeita no seu casamento.

A abertura de caminhos sempre traz o novo. Um atendimento envolvendo uma situação de determinado casal pode fazer com que a pessoa atendida mude seus aspectos interiores que refletirão numa nova forma de uma vida a dois, mais saudável e harmoniosa com a sua ou seu parceiro.

A abertura de caminhos sempre provoca rupturas. Um atendimento envolvendo uma situação de determinado casal pode fazer com que a pessoa atendida mude seus aspectos interiores que farão com que a união se torne insustentável. Não haverá sintonia.

Você observou um detalhe? O novo precisa de uma ruptura para acontecer. E a necessidade de romper acontece quando a situação atual perdeu seu sentido. O caminho não para, é uma “faca de dois gumes”: as escolhas fazem com que caminhos na sua vida se tranquem e se abram ao mesmo tempo.

Tenho presenciado experiências maravilhosas com a Terapia Quântica. Especificamente, quando se coloca o objetivo do designo divino, o do coração,  as mudanças por mais drásticas que sejam fluem sob a harmonia da Fonte Que Tudo É.

Estamos juntos.

Álvaro de Matos

Terapeuta Quântico

A Energia do Coração

Você conhece o Instituto HeartMath? Fundado na Califórnia em 1991, seus pesquisadores comprovam cientificamente que o coração é uma poderosa sede que gera energia eletromagnética, retém e produz informação, num raio de ação que pode ser medido em até 03 metros.

Há uma conexão direta: o que seu coração produzir, sua mente acompanhará. E esta relação produz efeitos em você tanto no seu mundo interior, nas reações bioquímicas do seu organismo, quanto no seu mundo exterior, nos seus relacionamentos e no meio ambiente.

A seguir, compartilhamos o vídeo produzido pela Collective Evolution tendo por base as pesquisas do Institute of HeartMath.

A armadilha está no frasco

A depressão e a ansiedade, quando se torna Transtorno da Ansiedade Generalizada, são doenças e só quem está sentindo sabe da angústia e da tortura que está passando. O tempo não cura, mas sim agrava a situação e por isso é fundamental encontrar meios para retornar à saúde, seu bem mais precioso.

E a doença tem estágios. Entendo que numa situação mais grave uma medicação seja uma alternativa sensata, mas o perigo está quando se toma um antidepressivo e/ou ansiolítico na fase inicial da doença ou por um longo período.

Não há julgamentos nem críticas nesse artigo. Somente pontos para reflexão. Normalmente remédios como antidepressivos e ansiolíticos são uma armadilha que te prendem à doença. Então mais cedo ou mais tarde, se você quiser voltar a ter liberdade, você terá que lutar contra a medicação que você ingere.

Bem, mas afinal o que é um antidepressivo ou ansiolítico?  Um ansiolítico é um composto denominado de Benzodiazepínicos (BDZ) e atua como um calmante, um tranquilizante, para reduzir a ansiedade inibindo o sistema nervoso central. Já um antidepressivo (Prozac, Daforin, por exemplo) atua nos mecanismos neurotransmissores do cérebro, atua no ânimo e no humor da pessoa.

Um BDZ (como os famosos Rivotril , Valium e Lexotan e seus respectivos genéricos Clonazepam, Diazepam e Bromazepam) deprime o sistema nervoso central. Diminui a atividade cerebral. Sim, um BDZ faz com que você tenha problemas para se concentrar. Sim, um BDZ gera perda de memória. Sim, um BDZ causa depressão.

Esses medicamentos não foram feitos para se tomar de forma continuada. Apenas 08 semanas de uso de um BDZ é suficiente para você ficar dependente dele. E há a tendência de você precisar aumentar a dosagem para sentir o mesmo efeito. Como qualquer outra droga, é muito difícil a sua desintoxicação. Em alguns casos, a pessoa adquire além da dependência química, a dependência psicológica.

Já um antidepressivo tende a provocar aumento de pensamentos e comportamentos suicidas e agressivos. Por isso, a maioria deles não é recomendada para crianças e adolescentes, e mesmo aqueles que são requerem todo um cuidado, observação direta e apoio terapêutico e psicossocial.

O grande problema no uso de um antidepressivo é que ele afeta a operacionalização do cérebro a longo prazo e atua apenas nos sintomas da depressão. E sabe aquela história de que depressão é uma doença causada pelo desequilíbrio químico? Pois bem, é uma hipótese, uma teoria sem nenhuma comprovação científica.

Nesta onda há um risco real de que seu cérebro reduza a capacidade espontânea de produzir serotonina a nível adequado.  Há um risco real de você contrair uma “cegueira emocional”, se tornando indiferente. Há um risco real de você ter transtornos ligados à sexualidade. Há um risco real de perda de apetite, insônia e dor de cabeça crônica. Enfim há uma série de efeitos colaterais, que afetam cada pessoa de acordo com seu organismo e sua estrutura psíquica. A lista é grande.

Ou seja, no final das contas, aí está armadilha: ao se fazer um tratamento somente medicamentoso você poderá ficar dentro da “normalidade”, mas o preço será alto. E para piorar o quadro, não é difícil o tratamento ter por base as duas medicações (ansiolíticos e antidepressivos). Os efeitos colaterais deixarão você sempre em estado de alerta de ansiedade ou em depressão e atrapalharão seus estudos, seu desempenho profissional, o convívio social e afetivo, além do aparecimento de outras doenças físicas.

Agora se você está tomando um ansiolítico ou um antidepressivo e quer deixar de tomar não se desespere, nem se culpe, nem nada de negativo. Existem cuidados a serem tomados. O primeiro: nunca interrompa a medicação de forma brusca e sem conhecimento do médico. Uma crise de abstinência e ou de descontinuação é coisa séria.

Converse com seu médico e veja alternativas para ir diminuindo aos poucos a dosagem diária, respeitando você e seu ritmo.

E muito importante: busque terapias complementares e integrativas, que trabalharão o contexto todo de ver você como uma pessoa com riqueza interior para despertar e promover o equilíbrio, o bem estar e a cura.

Independente da sua situação atual de depressão ou ansiedade, sugiro que experimente e se dê de presente terapias que estimulem sua saúde (sem efeitos colaterais nem contraindicações, ufa!) como a psicoterapia, meditação, yoga, florais, aromaterapia, acupuntura e, claro….  a Cura Quântica com a gente.

É só entrar em contato no link abaixo.

https://solarquantico.blog/contato

Estamos juntos.

Álvaro de Matos

Terapeuta Quântico

Fontes:

http://www.hypeness.com.br/2015/01/rivotril-como-um-remedio-tarja-preta-se-tornou-um-dos-mais-vendidos-do-brasil/

http://super.abril.com.br/saude/nacao-rivotril/

http://www.huffpostbrasil.com/michele-muller/desequilibrio-quimico-no-_b_8118932.html

https://drauziovarella.com.br/dependencia-quimica/abstinencia-de-antidepressivos/

http://www.psiconlinews.com/2015/02/antidepressivos-aliviam-sintomas-mas.html

http://boaspraticasfarmaceuticas.blogspot.com.br/2011/11/antidepressivos-trazem-mais-prejuizos.html

http://www.anpad.org.br/diversos/trabalhos/EnEO/eneo_2014/2014_EnEO170.pdf